Blog Descubra Petrópolis

Petrópolis é refúgio para novos moradores após a pandemia de Covid

Após a chegada da pandemia da Covid, Petrópolis tem sido um destino muito procurado por cariocas e paulistas, que buscam um refúgio seguro em meio à natureza para morar. A procura por imóveis disparou após a pandemia e muitos veranistas decidiram se estabelecer de forma definitiva na cidade. Visitantes que vinham apenas nos fins de semana ou em feriados, com o home office decidiram se estabelecer de forma definitiva na serra.

Outro grande atrativo é que Petrópolis foi eleita a cidade mais segura do Rio de Janeiro para morar e uma das melhores no Brasil. Com índices muito baixos de violência e com excelente infra-estrutura, o município se tornou uma dos destinos preferidos após a chegada da Covid, mudando a rotina dos distritos que viram a população crescer em plena pandemia.

Petrópolis também foi rota de fuga de cariocas na febre amarela

Mas não é a primeira vez que a cidade socorre as pessoas de surtos de doença. Quem diria, mas em 1850 Petrópolis já foi “exílio” de cariocas que viviam na corte e subiram a serra fugindo da pandemia. Naquele verão de 1849-50, a febre amarela vitimou para valer os habitantes da cidade. Quem tinha recursos subiu a serra, seguindo a rota do Imperador D. Pedro II, que saiu de São Cristovão e veio se refugiar aqui na cidade.

“Além de oferecer os prazeres da convivência com a Coroa, Petrópolis convertia-se em uma rota de fuga da febre amarela, em uma espécie de política sanitária da Corte”, informa a historiadora Lilia Moritz Schwarcz.

Fotos: reprodução de arquivos do IHGB e Museu Imperial de Petrópolis

Nessa época o Palácio do Imperador, hoje Museu Imperial, ainda nem estava totalmente construído (sua construção foi encerrada em 1856). Naquele ano, o vírus da febre amarela, velho conhecido no exterior, era novidade no país e pegou o Governo Imperial de surpresa. Avançou, se espalhou sem piedade e atingiu as grandes cidades do litoral, principalmente o Rio de Janeiro, onde deixou um rastro de pânico, com mais de 4 mil mortes. Fugindo do calor e da umidade do Rio, que com dificuldades no saneamento propagava de forma ainda mais rápida a doença, muitos cariocas compraram propriedades na serra e instalaram aqui sua residência.

Petrópolis é refúgio seguro após a Covid
O Palácio Imperial atual Foto: Alan Pacheco

Petrópolis registra aumento recorde de busca por Imóveis

Em 2020, de certa forma pode-se dizer que esse êxodo se repetiu. A Região Serrana viu a demanda por imóveis, tanto aluguel como compra, subir de 30% a 70%, dependendo da região. As imobiliárias reportam enorme procura por casas para alugar e comprar. Ao contrário da época do Império, em que conviver com a Corte era de grande interesse de todos que vinham para cá, agora a maioria procura conforto dentro de casa, com enorme busca por casas com piscina, amplas áreas de lazer e internet, de forma a executar o home office para um longo período sem sair de casa.

Centro da cidade em 2020- Foto Bruno Wanderley
Casa em condomínio, com segurança e ar puro Foto: Descubra Petrópolis

Petrópolis foi a escolhida do Imperador Dom Pedro II para viver no Brasil

A Petrópolis de 1850 era muito diferente da Petrópolis de hoje. Era uma cidade que estava efervescendo, tomando forma a toque de caixa. Onde não havia nada no início de 1800, em 1844 já era distrito e em 1857 tinha se tornado cidade, com Câmara Municipal e vereador. Em 1884, recebeu a primeira linha de trem e a subida da serra ( que levava mais 4 horas) se tornava menos árdua.

Ao todo, o Imperador passou quarenta verões em Petrópolis.

“Aos poucos, porém, as temporadas do Imperador e sua família deixaram de se restringir ao pico do verão; passavam, anualmente, cerca de cinco meses no alto da serra. Dom Pedro II descia ao Paço da Cidade (na Praça XV) para as sonelnidades de praxe e retornava a seguir. Ainda subia a serra em outros momentos, por menor tempo. E, na década de 80, pouco se afastou da cidade construída à sua imagem e semelhança” escreve Lilia Schuwarcz

Em busca de segurança, veranistas decidem morar na Serra

Esse comportamento também é semelhante a muitos moradores que agora vivem por aqui. Em boa parte, são veranistas que vinham para Petrópolis apenas nos fins de semana e alguns períodos de férias. Mas, com o empurrãozinho da pandemia, descobriram que podem morar aqui e escolheram Petrópolis como cidade para morar na Serra. Assim como Dom Pedro, muitos estão decidindo ficar por aqui de forma permanente e apenas descer a serra em casos de compromissos, para logo retornarem para cá.

Pena que a subida da serra até hoje ainda não é um problema totalmente sanado. Muitos ainda sonham com o retorno de uma boa linha de trem fazendo o percurso..Saudades do Império?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *